Animais

Ponteiro de cabelos curtos alemão

Pin
Send
Share
Send
Send


A história do ponteiro alemão de pêlo curto começa com os cães usados ​​para a caça de pássaros com rede e para a caça de vôo, praticada principalmente nos países do Mediterrâneo. Os cães da amostra chegaram aos canis principescos alemães através da França, Espanha e Flandres. A principal qualidade desses cães era a capacidade de mostrar presas.

TRADUÇÃO: Federação Canófila Mexicana, A.C. e Antonio M. Fernández Domínguez.

ORIGEM: Alemanha

DATA DA PUBLICAÇÃO DO PADRÃO OFICIAL VÁLIDO: 25.10.2000.

UTILIZAÇÃO: Cão de caça multiuso.

CLASSIFICAÇÃO FCI: Grupo 7 Cães de amostra. Seção 1.1 Cães de amostra continentais, tipo Braco. Com prova de trabalho.

BREVE RESUMO HISTÓRICO: A história do ponteiro alemão de pêlo curto começa com os cães usados ​​para a caça de pássaros com rede e para a caça de vôo, praticados principalmente nos países mediterrânicos. Espanha e Flandres. A principal qualidade desses cães era a capacidade de mostrar presas. O uso do cão de amostra desde a invenção da espingarda de dois canos (1750) tornou-se ainda mais importante. A caça foi lançada na mosca na frente do cachorro, essa foi a primeira etapa da estrada entre um cão de amostra pura e um cão de caça de múltiplos propósitos. O documento decisivo para o funcionamento e desenvolvimento da criação aparece em 1897: é o «Zuchtbuch Deutsch-Kurzhaar» (livro das origens do ponteiro alemão de pêlo curto). Foi o príncipe Albrecht de Solms-Braunfels, quem estabeleceu as características da raça, as regras do julgamento da morfologia e, finalmente, as regras básicas dos testes de trabalho para cães caçadores. Atualmente, o ponteiro alemão de pêlo curto é selecionado graças a um regulamento de criação e a alguns testes de trabalho que o versátil cão de caça deve ter, como o ponteiro alemão de pêlo curto. Isso permite que você atenda aos requisitos de caça mesmo na terceira idade.

APARÊNCIA GERAL: É um cão nobre e harmonioso, cuja constituição indica força, resistência e velocidade. Seu porte ereto, suas linhas fluidas, sua cabeça fina, sua boa cauda, ​​seu pêlo rígido e brilhante, bem como seus movimentos amplos e harmoniosos, destacam sua nobreza.

PROPORÇÕES IMPORTANTES: O comprimento do tronco deve exceder ligeiramente a altura da cruz.

TEMPERAMENTO / COMPORTAMENTO: Enérgico, equilibrado, confiável e moderado, nem nervoso, nem tímido, nem agressivo.

CABEÇA: Magro, marcado, nem muito leve nem muito pesado, correspondendo em comprimento e volume à forma do corpo e sexo.

REGIÃO CRANIANA:

Crânio: Processo occipital raso, suficientemente largo, ligeiramente abaulado, sulco frontal não muito profundo, arcos superciliares visivelmente bem desenvolvidos.

Depressão naso-frontal (Stop): moderadamente desenvolvida.

REGIÃO FACIAL:

Trufa: um pouco marcante, com narinas suficientemente abertas, largas e móveis. Em princípio, marrom, mas preto em cães pretos ou pretos. Uma trufa com manchas ou cor de carne é admitida apenas em cães cujo pêlo tem fundo branco.

Focinho: É longo, largo, profundo e forte para facilitar a coleta correta da presa. A cana nasal mostra uma ligeira convexidade no perfil, que pode ir de maneira nobre e arqueada a uma ligeira elevação em relação à horizontal, tudo isso muito mais acentuado nos homens. Uma haste nasal reta, igualmente admissível, é menos apreciada. A bengala nasal côncava constitui uma falha grave. FCI-St. N ° 119 / 25.04.2001 4

Lábios: aderentes, não muito caídos, bem pigmentados. Da trufa, os lábios caem quase na vertical até o ponto em que se separam e depois se estendem com uma ligeira curva até os cantos dos lábios moderadamente marcados.

Maxilares / Dentes: Os maxilares devem ser robustos, com uma prótese perfeita, regular e completa, articulada em tesoura, ou seja, os incisivos superiores devem cobrir os incisivos inferiores em contato próximo. Você deve ter 42 dentes saudáveis ​​colocados verticalmente nas mandíbulas.

Bochechas: fortes, com boa musculatura.

Olhos: tamanho médio, sem abaulamento nem afundado. A cor ideal é marrom. As pálpebras devem estar bem apertadas.

Orelhas: comprimento médio, implantação alta e larga, lisas, penduradas achatadas e coladas nas laterais da cabeça, com pontas arredondadas. Nem muito carnuda, nem muito magra. Adiante, eles chegam perto do canto do lábio.

PESCOÇO: comprimento proporcional ao corpo, alargando-se progressivamente em direção aos ombros. O pescoço é muito musculoso e ligeiramente arqueado. A pele da garganta é rigorosamente aderente a ela.

CORPO:

Linha superior: reta e ligeiramente descendente.

Dorso: forte, com boa musculatura. Os processos espinhosos devem ser cobertos pelos músculos.

Lombo: curto, largo, musculoso, reto ou ligeiramente arqueado. A transição dorso-lombar sólida e compacta.

Garupa: larga e longa o suficiente, não terminando abruptamente, mas inclinando-se apenas levemente em direção à cauda. Muito musculoso. FCI-St. N ° 119 / 25.04.2001 5

Tórax: Mais profundo que largo, com um peitoril bem marcado, o esterno voltando o mais longe possível. A articulação do esterno e cotovelo deve ser colocada na mesma altura. Costelas bem arqueadas, não achatadas ou em forma de barril. Costelas bem descendentes.

Conclusão: Enjuta, subindo levemente com uma elegante curva para trás.

CAUDA: De alta implantação, forte em sua inserção, com desbaste gradual da ponta, de comprimento médio. Para uso na caça deve ser cortado aproximadamente pela metade. Em repouso, cai, em movimento, carrega-o horizontalmente e não muito acima da linha de trás, nunca deve ser consideravelmente dobrado. (Nos países em que a legislação proíbe o corte da cauda, ​​ela pode permanecer em sua forma natural. Deve chegar ao jarrete e ser transportada horizontalmente ou levemente na forma de um sabre).

EXTREMIDADES

MEMBROS ANTERIORES:

Juntos: vistos de frente, são retos e paralelos, de perfil, bem posicionados abaixo do corpo. Ombros: escápula oblíqua e bem colada, inclinada para trás. Músculos vigorosos e tensos. Boa angulação entre a escápula e o braço.

Braço: o maior tempo possível, com bons músculos que não são grossos.

Cotovelos: presos ao corpo, mas não pressionados com força, não apresentam desvios para fora ou para dentro, são colocados bem atrás. Angulação adequada entre o braço e o antebraço.

Antebraço: reto, com musculatura suficiente. Ossos fortes, mas não grossos. Articulação do carpo: forte

Metacarpo: angulação mínima entre o antebraço e o metacarpo, nunca na posição vertical.

Pés anteriores: podem ser redondos ou em forma de colher, com os dedos juntos e suficientemente arqueados. Unhas fortes. Almofadas duras e resistentes. Suas posições são paralelas, sem apresentar desvios para fora ou para dentro, tanto em repouso quanto em movimento.

DEPOIS DOS MEMBROS:

Juntos: Observados por trás são retos e paralelos, com boas angulações. Seus ossos são fortes.

Coxas: longas, largas e musculosas. Com boa angulação entre o quadril e a coxa.

Joelhos: poderosos, com boa angulação entre a coxa e a perna.

Pernas: longas, musculosas e tendões. Boa angulação entre a perna e o metatarso.

Articulação tíbio-tarso (jarrete): Potente.

Metatarso: forte e vertical. Pés posteriores: de acordo com os anteriores.

MOVIMENTO: Ampla, com muita movimentação, com um passo correspondente. Membros anteriores e posteriores retos e paralelos. Comporte-se na posição vertical. Ambladura não é desejável.

PELE: Bem colado, sem formar dobras.

MANTO:

Cabelos: curtos e firmes, devem ser ásperos e difíceis de tocar. Na cabeça e orelhas deve ser mais fino e mais curto. Não é visivelmente mais longo na parte inferior da cauda. Deve cobrir todo o corpo.

Cor:
• Marrom, sem manchas.
• Marrom com pequenas manchas brancas ou manchadas no peito e nos membros.
• Ruano marrom com cabeça marrom, placas ou marrom manchado. A cor básica de um cão descrita desta maneira não é marrom com branco nem branco com marrom, mas o pêlo forma uma mistura tão íntima de branco e marrom que resulta em uma aparência externa discreta que é altamente valorizada pelo uso prático durante a caça . Freqüentemente, a cor é mais clara na parte interna dos membros posteriores, bem como na ponta da cauda.
• Ruano marrom claro com cabeça marrom, marrom ou manchada, ou sem placas. Nesse tipo de cor, os cabelos castanhos são menos numerosos e os brancos dominam.
• Branco, com cabeça marrom, com placas ou marrom manchado.
• Cor preta com as mesmas nuances que as cores marrom ou romana.
• Manchas de fogo amarelas são permitidas.
• Uma mancha branca alongada e arranhada na testa e belas mesquitas são permitidas.

TAMANHO: Altura na cruz: Homens: 62 a 66 cm. Fêmeas: 58 a 63 cm.

FALTAS: Qualquer desvio dos critérios mencionados acima é considerado uma falha e sua gravidade é considerada no grau de desvio do padrão e suas conseqüências sobre a saúde e o bem-estar do cão.
• Falhas gerais de construção, insuficiência no tipo inerente ao sexo.
• Focinho muito curto.
• Cintos muito pesados ​​ou muito leves.
• Falta de dois dentes (PM1 e M3), ou seja, dos quatro PM1 e dos dois M3, pode haver mais de dois dentes no máximo.
• Olhos muito claros, olhos de raptor (amarelo claro).
• Orelhas muito longas, ou muito curtas, ou muito pesadas, ou muito estreitas ou enroladas.
• Pele flácida na garganta.
• Parte traseira ligeiramente convexa (parte traseira da barraca).
• Grupo muito curto.
• Peito muito profundo.
• Mancal de cauda muito alto acima da linha dorsal ou cauda muito dobrada.
• Cotovelos ou pés desviados para fora ou para dentro. Dedos muito abertos ou muito fechados.
• Ângulos posteriores muito retos.
• Jarretes levemente em barril, vaca ou fechado.

Pin
Send
Share
Send
Send